Real brasileiro - história de origem e desenvolvimento

O real foi reconhecido como a moeda nacional do Brasil em 1994. Antes disso, a moeda nacional do país experimentou várias ondas de hiperinflação. No início do século 16, o Brasil tornou-se uma colônia da Espanha e várias formas de pagamento e dinheiro foram encontradas no território deste estado, que vão desde a troca em espécie até o pagamento de moedas espanholas - reais.

A própria etimologia da palavra "real" é espanhola e vem da palavra espanhola e portuguesa "real", que se traduz literalmente como real. No período em que parte do Brasil foi ocupada pela Holanda (meados do século XVII), foram cunhadas as primeiras moedas locais no país. Eles eram chamados de florins.
De 1690 até meados do século 20, o real passou a ser a moeda oficial do Brasil, mas devido ao uso de cédulas e moedas de grande valor, durante três séculos a principal moeda do país foi chamada de "fuga do Brasil".
Em 1942, o Brasil foi exposto a uma forte onda de inflação, como resultado da qual as autoridades do país decidiram introduzir uma nova moeda nacional chamada cruzeiro. É essa moeda que é considerada a antecessora oficial do real brasileiro moderno. Durante esse período, 1 cruzeiro foi trocado por 1000 reais.
No entanto, isso não salvou o país de outra onda de inflação e, como resultado, em 1967, foi feita uma denominação e a moeda foi chamada de "novo cruzeiro". Este nome esteve em uso até 1970. 1 "novo cruzeiro" foi equiparado, como seu "infeliz colega" real, a 1000 cruzeiros antigos.
No início da nova década, as autoridades fazem mais uma tentativa de superar a hiperinflação e retomam a denominação, devolvendo o cruzeiro usual. Mas isso não salva a situação, e já em 1986 foi realizada a próxima denominação e introduzido o cruzado, que foi trocado à taxa de cruzeiro na proporção de 1: 1000.
O país voltou a viver uma crise e hiperinflação, e em 1989 a liderança brasileira decide substituir o cruzado pelo cruzeiro novamente a uma taxa de 1: 1000. A tentativa não teve sucesso, o dinheiro novo continuou a se depreciar rapidamente. As autoridades novamente não encontraram outra saída a não ser fazer outra substituição da moeda nacional. Assim, em vez do cruzeiro apareceu o “cruzeiro real”, que foi trocado à taxa “usual” de 1: 1000.
Fatos interessantes sobre o real brasileiro:
Quando o "novo cruzeiro" estava em circulação, as autoridades não retiraram de circulação as notas do velho cruzeiro, mas uma certa marca foi colocada sobre elas na forma de um selo. A moeda nacional brasileira ficou em estado de hiperinflação por 52 anos (de 1942 a 1994). 

Real brasileiro moderno
Durante o reinado do presidente do Brasil, Itamaru Franco, foi realizada uma reforma monetária (1994). A partir deste momento, começa a história moderna da moeda nacional brasileira. A direção decide tomar como base o nome histórico da primeira moeda, que circulava no Brasil há 4 séculos. Assim, decidiu-se voltar à vida real, mas com um curso atualizado.
Depois de meio século com a moeda nacional em estado de hiperinflação, em 1994 foi possível estabilizar a taxa de câmbio e hoje o real continua sendo uma moeda estável.
Na época da introdução dessa unidade monetária, 1 real era igual a 1 dólar americano. Nos primeiros anos, houve um ligeiro aumento na taxa quando 1 real foi trocado por $ 1,2. As autoridades conseguiram manter essa taxa por 17 anos, inclusive devido ao rígido controle da cotação do dólar pelo Banco Central.
Hoje, a moeda nacional é emitida em moedas e notas. Em circulação existem moedas em denominações de 1, 5, 10, 25 e 50 centavos, além de 1 real. Duas séries de moedas de cunhagem foram produzidas - em 1994 e em 1998.
Também existem notas em circulação nas denominações de 1, 2, 5, 10, 20, 50 e 100 reais. A primeira série de notas também foi emitida em 1994 e essas notas estiveram em circulação até 2002.
Cada nota tem seu próprio esquema de cores especial e a Figura da República é representada no verso de todas as notas. O reverso retrata a fauna do Brasil e algumas de suas espécies. A única exceção é uma nota comemorativa de 10 reais, na frente da qual está o retrato de Pedro Cabral, que descobriu o Brasil, e no verso, brasileiros de diferentes nacionalidades.
A série 2010 recebeu um design aprimorado e um sistema de proteção mais confiável. Mas as imagens permaneceram inalteradas - a Figura da República no anverso e a fauna no reverso.