Sistema bancário brasileiro

O Brasil é um dos maiores países do mundo em território, população e recursos. A economia do Brasil tem sido volátil nos últimos anos, mas tem crescido rapidamente, e isso tem contribuído para o crescimento paralelo do sistema bancário.
Já os bancos brasileiros oferecem a mesma gama de serviços que são encontrados em instituições bancárias da União Europeia e dos Estados Unidos. Embora nem sempre coincida com as necessidades de uma parte significativa da população. Portanto, o sistema bancário brasileiro tem sua própria especificidade pronunciada. 

m 1809, foi inaugurado o Banco do Brasil, primeiro e principal banco do Brasil. Existiu até 1829, mas os bancos com este nome foram abertos muitas mais vezes, um deles ainda existe.
Em 1822, o Império Brasileiro independente foi proclamado. O novo estado perseguia sua própria política econômica interna e externa, e isso exigia seu próprio sistema bancário. 
Em 1831, tentou-se a criação de uma Caixa Econômica no Rio de Janeiro. 
De 1836 a 1839, funcionou no país o primeiro banco comercial privado, o Banco do Ceará. 
Em 1838, surge o Banco Comercial do Rio de Janeiro. Seu desenvolvimento motivou a abertura de bancos em outras baías, pernambuco, maranhana. 
Em 1861, por direção do imperador brasileiro, foi criada a Caixa Econômica Federal (CAIXA) - um banco estatal, cujo primeiro objetivo era atrair poupança, principalmente dos pobres do país.
Em 1863, surgiram bancos estrangeiros no Rio de Janeiro: London & Brazilian Bank e The Brazilian and Portuguese Bank. 
Em 1889, o Império Brasileiro tornou-se uma República. Durante o mesmo período, ocorreram sérias mudanças na economia do país, guerras com vizinhos, crises e ruína no setor privado. Em 1906, o Banco da República do Brasil ingressou no Banco do Brasil. O atual Banco Central do Brasil é o herdeiro desta associação. 
Em 1920, uma nova legislação bancária foi adotada. Novos bancos e agências bancárias são abertos e desenvolvidos. Em 1934, foi publicado o Decreto da Caixa Econômica Federal. O Banco de Crédito da Borracha foi criado em 1942, seu primeiro objetivo era financiar plantações de seringueiras nas regiões centrais do Brasil. 
Em 1950, passou a ser Banco de Crédito da Amazônia. Em 2006, esse banco foi denominado Banco da Amazônia S.A. (BASA). Agora é o representante do estado na Amazônia (59% do território do país). 
Em 1945, o Banco do Brasil recebeu novos poderes de supervisão e regulamentação para atender às demandas do crescente sistema bancário.  
Em 1946, surge a primeira empresa de crédito e investimento financeiro, o Conselho Monetário Nacional (CMN). Desde o início dos anos 50, o sistema bancário tem se desenvolvido com maior rapidez. O Banco do Nordeste do Brasil S.A. (BNB) passa a ser um banco de desenvolvimento do Nordeste do país, que sofre regularmente com a seca. 
Em 1964, foi criado o Banco Central do Brasil - Banco central do Brasil. Os poderes do Banco do Brasil S.A. foram transferidos para o banco central, que é privado desde a sua fundação em 1808. Atualmente, mais da metade das ações do Banco do Brasil S.A. pertence ao estado. Em 1967, os bancos brasileiros tiveram a oportunidade de emprestar no exterior. Isso se tornou uma fonte de capital para o desenvolvimento e, nos anos seguintes, ajudou o Brasil a entrar nas dez maiores economias mundiais. 
Em 1976, começa a funcionar a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão que regulamenta o mercado de ações. 
Na segunda metade do século 20, o sistema bancário brasileiro deixou de atender à economia agrícola e passou a trabalhar com o mercado de ações e o investimento estrangeiro. O financiamento de crédito aos produtores agrícolas e os empréstimos à habitação tornaram-se mais acessíveis. Os empréstimos ao consumidor se espalharam. 
A estrutura bancária do Brasil não difere formalmente dos sistemas bancários de outros países. No entanto, o papel do estado é tradicionalmente grande nele. 
Assim, desde 1996, as organizações bancárias estatais de fato Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal controlam 1/3 das ações de todos os bancos comerciais e de poupança e bancos de desenvolvimento do país. 
Um lugar especial no sistema financeiro do Brasil é ocupado pelo Banco Central - Banco central do Brasil. Tem o estatuto de organização independente, mas opera em conjunto com o governo. 
A competência do Banco Central inclui: organização da política monetária do país; monopólio da emissão da moeda nacional - o real brasileiro e a emissão da moeda em circulação; apoio à estabilidade do real, anúncio das taxas de câmbio oficiais; controle de moeda e regulamentação de moeda; controle e operações com as reservas de ouro e divisas do estado; determinação de regras operacionais para bancos de todos os níveis, registro de bancos e emissão de licenças para operações O banco central é o credor de última instância para outros bancos, ou seja, fornece-lhes a liquidez necessária.
A estrutura bancária do Brasil não difere formalmente dos sistemas bancários de outros países. No entanto, o papel do estado é tradicionalmente grande nele.

Mais de 70% do capital total do país e da carteira de empréstimos são controlados pelos 5 maiores bancos:
Banco do Brasil - maior banco do Brasil e de toda a América Latina, possui a maior rede de agências e caixas eletrônicos do país;
 Itaú Unibanco - maior associação financeira da América Latina, tem obtido sucesso na área de investimentos; 
Caixa Econômica Federal - um dos mais antigos bancos comerciais estatais, possui uma enorme rede de escritórios, oferece serviços massivos para a população e empresas, incl. pequena, realiza loterias nacionais; O Banco Bradesco - anteriormente o maior banco do Brasil, é versátil quanto à natureza dos seus serviços e carteira de clientes, também oferece leasing, seguros, poupança reforma etc .; 
O Banco Santander Brasil - escritório de representação do grupo bancário espanhol Santander, fornece cerca de metade do lucro total do banco-mãe.
A maior parte de todas as transações da população e das empresas passa por esses bancos.
Além deles, existem:
Banco Safra - banco com uma gama completa de serviços financeiros; Banco Citibank SA (Citi Brasil) - divisão brasileira do Citigroup Inc dos EUA; Banco ABC Brasil - especializado no atendimento a empresas brasileiras, subsidiária da Arab Banking Corporation (ABC), do Bahrein. Banrisul (Banco do Estado do Rio Grande do Sul SA) - detido há mais da metade pelo estado, é o maior banco do sul do país, especializado no atendimento à população e pequenos negócios, além de empresas estatais; Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) - banco estadual de fomento, com atenção especial ao financiamento de estruturas governamentais; O Banco Votorantim é mais um dos dez maiores bancos do Brasil, especializado em operações de atacado e varejo, operações com valores mobiliários. No total, existem quase 200 bancos comerciais e 20 bancos de investimento operando no Brasil, outras instituições de crédito, incl. empréstimos para clientes de menor renda.
 Quais serviços os bancos brasileiros oferecem?
Em um país tão grande como o Brasil, existe uma demanda por quase todos os serviços e serviços bancários conhecidos. E os bancos brasileiros estão atendendo a essa demanda. Além disso, os brasileiros têm acesso aos serviços de bancos estrangeiros por meio de agências e do acesso online.
Os bancos brasileiros oferecem a empresas e indivíduos:
transações em dinheiro com dinheiro e cartões bancários: pagamentos, transferências, câmbio, etc.; as mesmas operações em dispositivos de autoatendimento; abertura e manutenção de contas; emissão e suporte de cartões bancários; produtos de crédito, incl. sobre condições especiais no âmbito de programas estaduais; colocar fundos em depósitos bancários; programas de poupança para aposentadoria; serviços de seguros; serviços de gestão de capital fiduciário; operações com valores mobiliários no mercado interno e internacional; serviços digitais modernos para operações remotas; sistemas de transferência de dinheiro. Essas oportunidades são oferecidas com os mesmos princípios que em bancos de outros estados. 
Características do sistema bancário brasileiro
Uma característica do sistema bancário brasileiro é um alto nível de participação e controle do governo.
Grandes reservas são exigidas dos bancos.
Os bancos financiam muitos programas governamentais para a agricultura, áreas remotas, os mais pobres e muito mais.
O setor de banco de varejo também possui características:
Uma lacuna colossal entre as taxas pelas quais os bancos atraem recursos e as taxas dos empréstimos. Os depósitos em reais brasileiros oferecem menos de 3% ao ano e os empréstimos exigem cerca de 40% ao ano. Os empréstimos ao consumidor são especialmente caros, geralmente cobrando uma taxa de juros mensal, em termos de um ano, as taxas às vezes sobem acima de 200%.